sexta-feira, 5 de junho de 2015

Sorria menina... coloque uma flor  no cabelo, seu vestido lindo de chita... banhe o mundo com o brilho do seu olhar e não esqueça da fita de cetim pra ornar seu caminhar... o sorriso enfeita a alma...quebra a tristeza do olhar
e deixa a vida mais leve. Sorria menina... Só ria.
#smile #menina #euvousorrir

quinta-feira, 15 de agosto de 2013

Religiosidade...


Tenho tanta historinha para contar... Hoje vou contar a situação que vivi na Praça Sete: Sabe aquele pastor que fica gritando lá na praça? Pois é... Ele mesmo. Havia acabado de almoçar e voltava tranquila para meu trabalho com meu óculos de sol baratinho, minha calça de linho que era branca e pintei de preta (isso mesmo. Tingi com tintol), minha sapatilha antiga na cor palha porque combina com tudo, minha bolsa maravilhosaaaaa de uma loja de departamento que custou 89,00, minha camiseta branca surrada e um lencinho baratinho também, o digníssimo pastor, em meio aquela quantidade de gente, fitou-me nos olhos  e eu pensei: Ai Jesus! Faz isso comigo não! Ele continuou me olhando e disse algo que compreendi apenas o final: HEIN MADAME!!! Como assim madame? Não acreditei que ele havia me chamado de madame. Será que ele sabe da minha luta diária? Será que ele sabe que faço as unhas no intervalo entre arrumar a cozinha e passar pano na casa? Será que ele sabe que uso ônibus ou metrô todos os dias? Será que ele sabe que trabalho muito para pagar minhas contas e viver com dignidade? Será que ele, como cristão, não sabe identificar que a minha expressão serena é fruto da minha fé em Deus? E se eu fosse realmente uma madame? Que mau há? O Reino de Deus é para os seus sinceros de coração. Sabe... Fiquei pensando nesse pastor e me pergunto o que faz uma pessoa ir para uma praça julgar os outros em nome de Jesus? Me lembrei da parábola das virgens... Quanto mais eu observo, mais tenho a certeza de que a religiosidade nos afasta de Deus. E como diz minha amiga Marília Gabriela: "Que o meu Deus, que eu não sei se é o mesmo que o seu, lhe perdoe."   

domingo, 30 de outubro de 2011

E então...


“O que deve fazer alguém que não sabe o que fazer de si? Utilizar-se como corpo e alma em proveito do corpo e da alma? Ou transformar sua força em força alheia? Ou esperar que de si mesma nasça, como uma consequência, a solução? Nada posso dizer ainda dentro da forma. Tudo o que possuo está muito fundo dentro de mim.”
Clarice Lispector

sábado, 25 de junho de 2011

Dois anos sem Michael Jackson...





Metade de mim é escuro 
Metade de mim é triste
Metade de mim é vazia
Metade de mim é um órfão
Metade de mim está perdida
Metade de mim é um olhar  

O vento sopra e parte de mim tenta tocá-lo, sem sucesso. 
Parte de mim fecha os olhos e estende a mão em momentos de desespero 
Na esperança de tocá-lo no escuro.
Mas eu não posso. Eu não posso tocar, ouvir ou ver.
Eu não posso levar girassóis em uma manhã cinzenta.

Parte de mim se foi, eis que a pessoa que segue agora é uma outra, mais dor, mais amor, mas melhor em (quase) tudo.   Metade de mim  é  completamente solta no espaço em uma outra dimensão, perdida no escuro, a procurar o seu cheiro, sua respiração, sua bondade, a sua chamada, a sua presença ... 

Como uma parte de mim pode conceber de ausência? A não-existência?  
Me ensinaram a nunca dizer a palavra "nunca ..."
Mas parte de mim compreende que nunca, nunca ...

É uma caminhada com mais amor, porque ele nos salva todos os dias e é a única coisa que pode nos ligar a você. 
Como entender esse amor? Tão doloroso para mim.  

 Hoje é um daqueles dias em que metade de mim esteve jogando no espaço, 
Olhando para você...   Assim, palavras surgem, como um furacão. Impossível descrever os sentimentos em palavras.  
Meu coração dói tanto... Sou completamente perdida no tempo em busca de você. Eu não quero perder você.

Metade de mim é vida e a outra é espera
Porque parte de mim acredita que no final você vai estar lá 
E quando eu cair no sono é você quem me trará doces sonhos
E quando as lágrimas de dor chegarem, como agora, é você que me inspira as palavras.

EricaRibeiro

quarta-feira, 22 de junho de 2011

“Para perdoar é necessário acrescentar às coisas novos sgnificados, ou seja, ressignificá-las, compreender uma experiência de forma diferente. Para perdoar é preciso remodelar nossa atenção para outro prisma do contexto e perguntar a nós mesmos: O que isso mais poderia significar? “
Hammed
P.S.: Eu sempre volto a este pensamento quando me sinto ferida.
imagem from tunai.sripengantin